Sorte – Ida Vitale

 

Inúmeras mulheres levaram as letras em seu sangue
e também o derramaram por elas.

Aos 95 anos, a poeta uruguaia Ida Vitale ganhou o Prêmio Miguel de Cervantes de 2018, o mais importante prêmio de língua espanhola.
Ida faz parte da Geração de 45, juntamente com Ángel Rama, José Pedro Díaz, María Inés Silva Vila, Juan Ramón Jiménez, Carlos Maggi, Manuel Arturo Claps, Idea Vilariño, Emir Rodríguez Monegal, Domingo Bordoli, Carlos Brandy, Juan Cunha, Giselda Zani, Armonía Somers, Tola Invernizzi, Amanda Berenguer, Carlos Real de Azúa o María de Montserrat.
Nas próximas postagens, vamos conhecer um pouco mais da obra de Ida Vitale.

Sorte

Ida Vitale
Tradução: Débora Andreza Zacharias

Por anos, desfrutar dos erros
e de suas emendas,
ter podido falar, caminhar livre,
não existir mutilada,
não entrar, ou sim, em igrejas,
ler, ouvir uma música querida,
ser na noite um ser como no dia.

Não ser presa a um trabalho,
medida em cabras,
sofrer domínio de parentes
ou apedrejamento legal.
Não desfilar nunca
e não admitir palavras
que coloquem no sangue
limalhas de ferro.
Descobrir por si mesma
outro ser não previsto
pela ponte do olhar.

Ser humano e mulher, nem mais nem menos.

 

 

Fonte: https://ciudadseva.com/texto/fortuna/

 

 

 

Um comentário sobre “Sorte – Ida Vitale

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s