Mulheres de letras

Inúmeras mulheres levaram as letras em seu sangue e também o derramaram por elas.

Apresento uma poesia da incrível argentina Alfonsina Storni.

DUAS PALAVRAS 

Alfonsina Storni

Tradução: Débora Zacharias

Esta noite, ao ouvido, me dissestes duas palavras
Comuns. Duas palavras cansadas
De ser ditas. Palavras
Que de velhas são novas.

Duas palavras tão doces que a lua que andava
Passando entre as ramas
Parou em minha boca. Tão doces duas palavras
Que uma formiga passa por meu pescoço e eu não tento
Mover-me para espantá-la.

Tão doces duas palavras
– Que digo sem querer – oh, que linda a vida!
Tão doces e tão mansas
Que óleos cheirosos sobre o corpo derramam

Tão doces e tão belas
Que nervosos, meus dedos
Movem-se até o céu imitando tesouras
Oh, meus dedos queriam
Cortar estrelas.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s